PEDÓFILOS DA BÍBLIA!

3 de janeiro de 2011

Já tratamos de muitos temas no nosso blog como: riqueza dos pastores, apocalipse, sexo com mulheres na bíblia e outros. Nosso último artigo postado em dezembro de 2010 foi “Os Adúlteros da Bíblia”. Agora, iniciando mais um ano contra as lendas, mitos, mentiras e atrocidades narradas na Bíblia, apresento-lhes nosso novo artigo: “Os pedófilos da Bíblia!”

A pedofilia (também chamada de paedophilia erotica ou pedosexualidade) é a perversão sexual, na qual a atração sexual de um indivíduo adulto ou adolescente está dirigida primariamente para crianças pré-púberes (ou seja, antes da idade em que a criança entra na puberdade) ou para crianças em puberdade precoce. A palavra pedofilia vem do grego παιδοφιλια (paidophilia) onde παις (pais, “criança”) e φιλια (philia, “amizade”, “afinidade”, “amor”, “afeição”, “atração”, “atração ou afinidade patológica” ou “tendência patológica”, segundo o Dicionário Aurélio). [Wikipédia]

O senador Magno Malta vem desenvolvendo um ótimo trabalho no combate à pedofilia em todo o país. Evangélico, demonstra grande empenho em seguir as doutrinas bíblicas, e abraçou a causa contra a pedofilia com esmero. Para ele não importa se o praticante de pedofilia seja pastor evangélico, padre ou um cidadão qualquer; será enquadrado pela lei do mesmo modo. Mas o que o senador Magno diria se soubesse que parte dos grandes homens e heróis bíblicos eram pedófilos? É o que você, caro leitor, saberá ao terminar de ler este artigo.

MOISÉS E O MANDAMENTO DA PEDOFILIA!

No livro de Números, o quarto livro que compõe o Pentateuco, lemos uma das narrações mais absurdas do Antigo Testamento. Moisés sai do arraial com o sacerdote para receber seu exército vitorioso na guerra contra os midianitas. Vendo que seus “santos” guerreiros haviam deixado as mulheres e crianças vivas, indignou-se e ordenou outra chacina; agora só das mulheres que já tinham tido relações sexuais e das crianças do sexo masculino; quanto às meninas que não tinha tido relações, os seus guerreiros podiam tomá-las por “esposas” [Nm 31.13-18]. Qual a serventia de tais meninas se não fosse para o abuso sexual?

Convido ao leitor a viajar no tempo para o cenário do acontecimento em questão e imaginar o seguinte:

1 – Mulheres e crianças [meninos e meninas] chegando ao arraial de Moisés amarrados como animais e apavorados na expectativa do que estava para acontecer-lhes;

2 – Todas as meninas vendo suas mães e irmãos aos gritos, implorando por suas vidas e sendo traspassados pelas espadas dos santos guerreiros de Jeová;

3 – Após toda a visão de sangue e cadáveres à sua frente, foram “tomadas” por “esposas” dos assassinos de seus familiares e amigos.

As perguntas que não querem calar é:

1- Onde estava Deus que assistiu tudo isso que Moisés ordenou e não fez absolutamente nada para detê-lo?

2- Por que Jeová destruiu Sodoma e Gomorra pelo estupro homossexual e não destruiu ou puniu o Israel pedófilo?

Alguns defensores das atrocidades bíblicas podem alegar sobre a mentalidade da época; o mesmo tratamento que os israelitas recebiam dos outros povos; que foi o próprio Deus que permitiu tal chacina, porque já sabia do futuro em que cada criança se tornaria mais um inimigo do seu povo; blá, blá, blá… Outros podem alegar que tais “meninas” não eram crianças, pois de acordo com a tradição judaica, consideravam como adultos (membros da sociedade) as mulheres aos 12 e os homens aos 13 anos de idade, sendo a cerimônia de transição chamada Bat Mitzvah para as garotas e Bar Mitzvah para os rapazes. Porém, o versículo 17 do capítulo 31 deixa claro que havia meninas entre as mulheres, fazendo separação entre “toda mulher [depois dos 12 anos, segundo a tradição] que coabitou com algum homem”, das “meninas que não coabitaram com algum homem” também.

[Clique na imagem abaixo para ampliá-la!]

jofran

Além de tudo, nada justifica tal atrocidade contra seres humanos, independente de qualquer raça, causa ou mandamentos religiosos. E mais! Deus, nesse caso, não se importou com os futuros traumas que as meninas teriam [tiveram] ao lado dos assassinos de seu povo, como escravas sexuais e meras parideiras!

ELIAS: O PROFETA PEDÓFILO !

Elias, o tesbita – como anunciado em I Reis 17.1, é um dos profetas mais reverenciado no Velho Testamento: previu grande seca [I Rs 17.1]; foi alimentado por corvos com carne e pão [17.6-7]; fez descer fogo do céu através de sua oração [18.36-38]; e fez chover [18.41-45]; realizou um milagre para sustentar uma viúva e o filho dela [17.12-16]; separou as águas do rio jordão para atravessá-lo [II Rs 2.8] e foi arrebatado aos céus [2.11-12]. Só que esta última façanha não passou de uma bela mentira do seu… Cóf, cóf [tossindo]! Do seu “cavalheiro de compania” Eliseu [II Rs 2.15-17 e II Cr 21.11-12].

Porém, o santo profeta não tinha companheira [esposa]; tinha um “moço” que lhe pertencia [18.43], o qual depois   sob o pretesto de que corria perigo o abandonou [19.3]; “achou” um outro “moço” de nome Eliseu, e ao passar por ele, lançou-lhe o seu manto [I Rs 19.19] e o jovem imediatamente o seguiu.

Hã? Entenderam? Como dois homens instruídos sob as rudes leis de Moisés, no primeiro “encontro”, tornam-se “companheiros” sem dizerem uma palavra para o outro? Esse era o costume dos hebreus?

Bem, continuando… O jovem pediu para despedir-se dos pais e Elias assim consentiu, mas antes fez uma advertência: “… Vai e volta; pois já sabes o que fiz contigo.” [19.20]

Hã? Ficou claro ou quer que eu desenhe? Eu certamente sei que babado era esse! Isso, no século presente, chama-se homossexualidade!

Pois, bem! Depois de toda essa declaração homoafetiva – a qual não acho nada demais e até  “bato palmas” – o profeta revelou o seu lado pedófilo. E  é aí onde a coisa pega!

Na casa da viúva, depois de ter sido alimentado, ninguém sabe o que aconteceu que o menino adoeceu de repente e morreu [I Rs 17.17]. O que fez o profeta Elias? Tomou-o dos braços dela;  levou-o para o seu quarto no andar de cima; deitou-o em sua cama e “estendeu-se” [deitou] três vezes sobre o garoto!

Hã? Como assim? Que espécie de “primeiros socorros”  é esta? Será que Jeová realmente orientou o profeta a fazer isso?

Bem! Não pasme o leitor se eu disser que o garoto recuperou o fôlego na hora!

Talvez o menino estivesse num sono profundo… Bem preguiçoso! Daí veio um velho fedorento, babão e pedófilo deitar-se por cima dele; e apesar do sono pesado, o inocente acordou imediatamente com aquele… aquele… ah, vocês entenderam!

ELISEU: O PEDÓFILO SUBSTITUTO!

O escritor dos livros de I e II Reis [Jeremias?], depois de narrar o feito de pedofilia de Elias; agora torna-se mais explícito em contar a mesma façanha feita por Eliseu.

O substituto também tinha um “moço” – de nome Geazi – como tinha o seu mentor Elias [II Rs 4.12]; repetiu os mesmos milagres de Elias e também ressuscitou um garoto seguindo a mesma orientação dada por Jeová[?] a Elias:

“Tendo o profeta chegado à casa, eis que o menino estava morto sobre a cama. Então, entrou, fechou a porta sobre eles ambos e orou ao Senhor. Subiu à cama, deitou-se sobre o menino e, pondo a boca sobre a boca dele, os seus olhos sobre os olhos dele e as suas mãos sobre as mãos dele, se estendeu sobre ele; e a carne do menino aqueceu. Então, se levantou, e andou no quarto uma vez de lá para cá, e tornou a subir, e se estendeu sobre o menino; este espirrou sete vezes e abriu os olhos”. [II Rs 4.32-35]

Como bem enfatiza o site cristão INICIATIVA RESTITUI:

“É importante lembrar que não é só o sexo em si que é configurado abuso sexual, segundo a Lei nº 12.015, de 2009 Artigo 117-A, Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso (beijar na boca, passar a mão onde não deve e etc.) com menor de 14 (catorze) anos: é considerado estupro de vulnerável e a pena pode variar de 08 a 15 anos de prisão.”

Perceba que tanto Elias como Eliseu só ressuscitava meninos. E as meninas? Ou elas não morriam ou eram lançadas nas covas vivas! Quem sabe?

E mais! Realizavam estes milagres sem os pais dos garotos estarem presentes no quarto!

Onde estava o Conselho Tutelar que não apurou os fatos nem responsabilizou esses homens? Ah, lembrei! Não existia Conselho Tutelar naquela época; nem tampouco se ouvia falar em pedofilia e nem havia um senador que peitasse  tais pedófilos… Só existia os santos profetas de Jeová e estes… podiam fazer o que quisessem!

Talvez a falácia dos evangélicos e religiosos em geral de que todo homossexual é um pedófilo em “potencial”, seja devido a esta “divina” história bíblica! Se a própria Bíblia que dizem ser a “Palavra de Deus” náo separa tais coisas, como os seus seguidores poderão separar?

Quer mais? Um fato curiosíssimo é que o milagre repetido por Eliseu de ressuscitar um menino; era que a mãe da criança não podia ter filhos devido a idade avançada do marido [II Rs 4.14]; mas Eliseu – muitíssimo grato pela estadia de graça – chama-a em seu quarto e faz uma promessa de que a serva dentro de um ano abraçaria um filho [II Rs 4.15-16].

Hummm… Vejamos! Um marido velho; uma esposa jovem; um profeta sem teto; a mulher faz de tudo para agradar Eliseu e convence ao marido a construir um quarto só para o profeta; depois de uma promessa feita pelo “hóspede”, dá a luz um ano depois!

Nossa! O caro leitor está  pensando no que eu estou pensando? Pois é! Uma das coisas que os hebreus faziam como obrigação era procriar, mesmo que ainda fosse um pedófilo!

Saiba o que é “estupro de vulnerável”: [CLIQUE AQUI!]

SOBRE O LIVRO DE CANTARES DE SALOMÃO

Segundo a Bíblia de Estudos Plenitude, o livro de Cântico dos Cânticos não fornece informações preciosas sobre sua ocasião e data. O livro apresenta o desejo apaixonado entre um homem e uma mulher [Salomão e Sulamita]; contém descrições da mulher juntamente com uma exibição completa dos produtos de seu jardim.

“A Sulamita ajuda a reescrever essa história. Ela executa a dança memorial de Maanaim… Quando encontra a quem ama, ela o detém e não o deixa partir…” [Plenitude, p. 660]

Na verdade, o livro de Cântico dos Cânticos não passa da história de um pedófilo [Salomão] que tem um amor doentio por uma menina [criança] chamada Abisague.

“O Livro de Cantares é um poema lírico, onde se observa muita ênfase ao erotismo, isto é, ênfase ao amor carnal. Escrito poeticamente em forma de canto, é uma verdadeira peça teatral, onde vários personagens participam da trama, dialogando em forma de canto. O tema do livro é o “amor” (8:5-7). Contém, realmente, belíssimos versos de amor e erotismo. Porém, o problema é que o pretendente do drama está a seduzir a pessoa errada, uma garota, adolescente. É de grande valor cultural para os judeus, mas tem algo de estranho no mesmo.” [Blog Nostalgia Gospel]

Também fica clara a relação ilícita entre o casal, pois como vocês verão abaixo, a garota não era casada com Salomão e nem tinha idade para o matrimônio! Esse rei era incrivelmente “sábio” como a bíblia o descreve!

ABISAGUE: A SUNAMITA!

Apresento-lhes uma garota que pouco tem se destacado nos sermões religiosos de todos os seguimentos cristãos. Talvez sua pouquíssima popularidade nas igrejas de hoje seja devido a sua revoltante história narrada no livro de I Reis e do seu romance absurdo em Cantares de Salomão.

Sunamita [ou Sulamita] era a designação usada na época para se chamar uma mulher que habitava na cidade de Suném – que quer dizer: “lugar de repouso”. Localizada a sudeste do mar da Galiléia, entre os montes Gilboa e Tabor, na planície de Jezreel – é herança da tribo de Isaacar. Duas mulheres [?] sunamitas ficaram registradas na Bíblia. Uma delas foi Abisague, a do versículo 3 do capítulo 1 de 1° Reis.

Abisague era uma pobre menina, natural de Suném, na tribo de Issacar, que como toda criança, deveria ter sonhos e planos para o seu futuro. Mas que foram destruídos pela maldade de Davi e seus servos.

Na idade de setenta anos, o rei não mais se aquecendo em seu leito, foi aconselhado por seus médicos [por que não dizer safardanas?] a procurar uma jovem [?] que poderia transmitir o calor necessário. [Que calor uma menina poderia transmitir? Não havia uma concubina que aquecesse esse velho?] Para este fim lhe apresentaram a pequena Abisague, que era uma das mais belas “mulheres” [meninas] em Israel e o rei fez dela sua mulher, sem abusá-la sexualmente. Creio que isto se deu devido ao estado avançado de sua idade, pois de inocente e respeitoso Davi não tinha absolutamente nada!

Gael Garcia Bernal naked 2

Após a morte de Davi, Adonias – seu quarto filho e o mais velho dos sobreviventes – exigiu Abisague em casamento, pelo que perdeu sua vida; pois o rei Salomão – filho escolhido por Davi para ser seu sucessor – alegou nisto intento sobre a coroa também. Adonias aspirou ser rei antes da morte do irmão, e teve sua vida poupada somente na condição de uma conduta pacífica. Por este pedido, Salomão irou-se [I Rs 2.22] e deixou transparecer de que seu irmão estava sendo motivado por propósitos políticos; o que caiu sobre Adonias a punição de morte como traidor [I Rs 2.24-25]. Curioso é que por causa de uma coroa se matava até parentes e nem se temia aos mandamentos de Jeová, como por exemplo: “Não matarás!” [Ex 20.13]

Será que a pequena Abisague estava livre para seguir sua vida? Absolutamente não! Ela passou a ser a amante secreta de Salomão e sua vida de ilusão estava apenas começando.

Quando a menina começou a ser “usada” sexualmente por Salomão, supomos que seu pai [Davi] não estava mais vivo, como citado acima; e seu filho sucessor já tinha tornado-se rei, inclusive o próprio livro de Cantares narra quantas esposas e concubinas ele já tinha [Cant 6.8].  Salomão passou a se encontrar às escondidas com Abisague numa vinha herdada por ele [8.11], porque a menina era de idade inapropriada para casar-se e os irmãos dela para protegê-la de Salomão, a colocavam para tomar conta da vinha, longe da vista do amante [1.6b]. Porém Salomão chegava escondido à vinha para seduzi-la [2.8-10]; amavam-se na cama da própria mãe dela [3.1-4]; Não era casada com o rei, porque no capítulo 4 e versículo 16 encontramos o lugar secreto de encontro do casal; o amante retirava-se repentinamente e não se despedia demonstrando que o romance era proibido [5.6]; os guardas de Salomão a maltrataram deixando claro que não a reconheciam como mais uma esposa do rei [5.7] e que era apenas uma menina seduzida por um amor impossível [8.1]; E que seus irmãos a descrevem como realmente uma menina que ainda não tinha nem seios [8.8-9].

10308208_711754155538969_1447707295861193011_n

NOTA: Segundo a Bíblia Católica traduzida da versão francesa dos Monges de Maredsous, em nota de rodapé; o termo Sulamita empregado em Cant 6.13 [Bíblia Protestante] e Cant 7.1 [Bíblia Católica], significa “oriunda de Sulam, localidade da Galiléia, antigamente chamada Sunam, terra natal de Abisague, escolhida para aquecer o rei Davi em seus últimos dias…” [Bíblia dos Monges de Maredsous, p. 847, 1958]

CONCLUSÃO

Segundo a Bíblia, Moisés recebia orientações diretamente de Deus [Ex 33.11]. Como Deus permitiu que o mesmo ordenasse aos seus guerreiros para tomar meninas por esposas? Deus naquela época não tinha princípios? Era tão troglodita quanto Seu povo? A resposta para essas questões está no simples fato de que Moisés nunca recebeu nenhuma orientação da parte de Deus. Na verdade,  ele agiu como bem lhe convinha!

Assim como o Livro de Ester, Cantares de Salomão também não cita o nome de Deus e nem mesmo consta no grupo dos livros poéticos do Cânon hebreu. O acréscimo “de Salomão” não consta no original e a trama desse romance parece ser uma montagem, porque se misturam parte desse caso amoroso com partes de outros casamentos de Salomão com outras esposas.

Não sabemos até que ponto Abisague participou da vida do rei Davi; porém a narração do livro de Reis deixa dúvida quanto à sua veracidade histórica. Sabemos sim, através do livro de Cântico dos Cânticos que Salomão teve um romance ilícito com a menina, como fruto de uma paixão doentia; e por que não dizer pedófila?

Não espero que nenhum teólogo cristão concorde com este artigo, porém seria apropriado que os cristãos homofóbicos refletissem em suas palavras e parassem de julgar a homossexualidade tomando por “base e fundamento” a Bíblia, a qual foi escrita por homens ignorantes – a exemplo de Moisés que demonstrou ser um líder assassino e tirano!

Os israelitas atualmente demonstram terem herdado a prática ensinada por Moisés de exterminar crianças [Clique aqui]; Há até quem se indigne [alguns cristãos] com massacres de crianças exibidos na mídia atualmente [Clique aqui]; Mas se calam completamente diante dos relatos de mortes e abusos a crianças narrados na Bíblia; livro que os próprios consideram e proclamam de “A Palavra de Deus”!

Para saber mais sobre o que as religiões fazem em nome de seu deuses com crianças, [Clique aqui!]

Andrea Foltz!

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Católica dos Monges de Maredsous. São Paulo – SP: Ave Maria, 1958.

Bíblia de Estudo Plenitude. Barueri – SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2002.

Blog Nostalgia Gospel. Livro de Cantares de Salomão: Um caso a questionar! Disponível em <http://miquels007.multiply.com/journal/item/23> Acessado em 22/12/2010.

Wikipedia. Pedofilia. Disponível em <http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedofilia>. Acessado em 20/12/2010.

=====================================================

PEDOPHILES OF THE BIBLE!

We have approached many themes in our blog as Richness of the Pastors, Apocalypse, Sex with women [according to the bible] and others. Our last article posted in December 2010 was The adulterers of the Bible.” Now, beginning one more year against the legends, myths, lies and atrocities recounted in the Bible, I present you our new article: Pedophiles of the Bible!”

Pedophilia (also called paedophilia erotica or pedosexuality) is a sexual perversion in which sexual attraction of an adult or adolescent is directed primarily to prepubescent children (i.e. before the age at which a child enters puberty) or for children in early puberty. The word pedophilia comes from the Greek παιδοφιλια (paidophil) where παις (parent, “child “)  and φιλια (philia, “friendship, ” “affinity, “”love”, “affection”, “attraction”, “attraction or pathological affinity” or “pathological tendency, “according to the dictionary). [Wikipedia]

Senator Magno Malta has developed a great job in combating child abuse across the country. Evangelical, he demonstrates a strong commitment to following the biblical doctrines, and embraced the cause of pedophilia with care. For him does not matter whether the practitioner of pedophilia is an evangelical pastor, priest or a regular citizen; the law will be framed the same way. But what Senator Magno would say if he knew that part of the great biblical heroes were pedophiles? Is that you, dear reader, will know when you finish reading this article.

MOSESANDTHECOMMANDMENTOFPEDOPHILIA!

In the book of Numbers, the fourth book that make up the Pentateuch, we read one of the most absurd stories of the Old Testament. Moses leaves the camp with the priest to receive his victorious army in the war against Midian. Seeing that their “holy” warriors had left women and children alive, became angry and ordered another massacre; now only women who had had sexual intercourse and male children; but girls who had not had relations, their warriors could take them as “wives” [Numbers 31.13-18]. What is the usefulness of these girls if it was not for the sexual abuse?

I invite the reader to travel back in time for the scenario of the event in question and imagine the following:

1 – Women and children [boys and girls] arriving at the camp of Moses tied like animals and frightened in anticipation of what would happen to them;

2 – All the girls watching their mothers and brothers crying, begging for their lives and being wounded by the swords of the “holy” warriors of the Lord;

3 – After all the sight of blood and dead bodies in front of them, they were “taken” by “wives” of the killers of their relatives and friends.

The questions that remain are:

1- Where was God who saw all that Moses commanded, and did nothing to stop him?

2- Why did Jehovah destroy Sodom e Gomorrah because of homossexual rape and not destroyed or punished his pedophile people?

Some defenders of biblical atrocities can claim about the mentality of the era; the same treatment that the Israelis received from other people; that was God who allowed such a massacre, because He knew the future in which every child would become an enemy of His people… blah, blah, blah! Others may argue that these “girls” were not children, because according to Jewish tradition, regarded as adults (members of society) women and men at 12 to 13 years of age, according to the ceremony of transition called Bat Mitzvah for girls and Bar Mitzvah for boys. However, verse 17 of chapter 31 makes clear that there were girls among women, making the separation between “every woman [after 12 years, according to tradition] who cohabited with a man”, from the “girls who have not cohabited with any man” too.

After all, nothing can justify such an atrocity against human beings, regardless of any race, question or religious commandments. And more! God, in this case did not care about the future traumas that girls would have [had] beside the murderers of his people as mere sex slaves and breeders!

ABOUT THEBOOK OFSONGOFSONGS

According to the Plenitude Bible Study, the book of Song of Songs does not provide valuable information about your occasion and date. The book presents the passion between a man and a woman [Solomon and Shulamith]; contains descriptions of the woman along with a complete view of your garden products.

“Shulamith help rewrite this history. She performs the dance memorial Mahanaim … When finds her love, she holds him and does not let him go …” [Fullness Bible, P. 660]

In fact, the book of Song of Songs is just the story of a pedophile [Solomon] who has an unhealthy love for a girl [child] called Abishag.

“The Book of Song of songs is a lyric poem, which we find a lot of emphasis on eroticism; that is, emphasis on physical love. It was written in poetic form of singing; it’s a true play, with several characters involved in the plot, dialoguing in form of song. The book’s theme is “love” (8:5-7). It has really beautiful poems of love and eroticism. But the problem is that the pretender of the drama seduces a child. It is of great cultural value for Jews, but there’s something strange in it.” [Gospel Nostalgia Blog] Also it is clear the illicit relationship between the couple, because as you’ll see below, the girl was not married to Solomon and she didn´t have age for marriage! This king was incredibly “wise” as the Bible describes him!

Abishag: The Shunammite!

I introduce to you a little girl who has excelled in religious sermons in all segments Christians. Perhaps her very little popularity in today’s churches is due to its outrageous story related in the book of I Kings and her absurd romance in the book of Song of Songs. Shunammite [or Shulamith] was the name used at the time to call a woman who lived in the city of Shunem – which means “resting place”. Located in the southeast of the Sea of Galilee, between the hills Gilboa and Tabor on the plain of Jezreel – it’s inheritance of the tribe of Isaac. Two women [?] Shunammite were recorded in the Bible. One of them was Abishag [I Kings 1.3].

Abishag was a poor girl, born in Shunem, the tribe of Issachar, who as every child should have dreams and plans for its future. But they were destroyed by the David´s wickedness.

At the age of seventy years, the king can no longer keep warm in his bed, was advised by their physicians [why do not say “perverts”?] to look for a young girl [?] That could transmit the necessary heat. [Which heat could a girl transmit to? Wasn´t there a concubine that warmed that old pervert man?] To this end it was showed the little Abishag, who was one of the most beautiful “women” [girls] in Israel and the king made her his wife without abusing her sexually. I believe that was due to the advanced state of his age, because innocent and respectful that David had absolutely nothing!

After the death of David, Adonijah – fourth child and oldest of the survivors – demanded Abishag in marriage and lost his life for it, because King Solomon – son chosen by David to be his successor – realized in the married proposal intent on the crown. Adonijah aspired to be king before the death of his brother, and had his life spared only on condition of a peaceable. For this, Solomon was angry [I Kings 2:22] and hinted that his brother was being motivated by political purposes, which fell on Adonijah the punishment of death as a traitor [I Kings 2:24-25]. It is curious that because a crown they killed their relatives and they didn´t fear the Jehovah’s commandments, such as: “Do not commit murder” [Ex 20:13].

Was the small Abishag free to follow her life? Absolutely not! She became the mistress of Solomon and her secret life of illusion was just beginning.

When the girl began to be “used” sexually by Solomon, we assume that your father [David] was no longer alive, as mentioned above, and his son had become king, including the own book Song of Songs tells how many wives and concubines he had [Song of Songs 6.8]. Solomon began to meet secretly with Abishag in a vineyard he inherited by [8.11], because the girl was inappropriate age to marry and her brothers to protect her from Solomon, send her to take care of the vine away from the Lover view [1.6b]. But Solomon came hidden to the vineyard to seduce her [2:8-10]; they loved each other in her mother´s bed [3:1-4]; she didn´t get married to the king, because they met secretly in the garden [4.16]; Solomon disappear suddenly and didn´t say goodbye, demonstrating that their love was prohibited [5.6]; Solomon´s guards mistreated her making it clear that they did not recognize her as one of the king’s wife [5.7] and she was just a girl seduced by him [8.1]; and that her brothers really describe her as a girl who still had no tits [8.8-9].

NOTE: According to Catholic Bible translated from the French Version of the Monks of Maredsous , in a footnote; the term  Shulamith used in Song of  Songs 6:13 [Protestant Bible] and 7.1 [Catholic Bible], means “coming from Sulam, a town of Galilee, formerly called Sunam, the birthplace of Abishag chosen to heat the King David in his last days … ” [Bible of the Monks of Maredsous, p. 847, 1958].

CONCLUSION

According to the Bible, Moses received guidance directly from God [Ex 33.11]. How did God allow the he ordered his warriors to take girls as wives? Didn´t God have no principles? He was so troglodyte as His people? The answer to these questions lies in the simple fact that Moses never received any guidance from God. In fact, he acted as suited him well!

As the Book of Esther, Song of Songs also does not mention the name of God and is not even listed in the group of poetic books of the Hebrew canon. The increase “of Solomon” is not in the original and the plot of this novel seems to be an assembly, because mix part of that love affair with part of other Solomon´s marriages with other wives. We do not know to what extent Abishag participated in the life of King David, but the narration of the book of Kings leaves doubt about its historical veracity. We do know, through the book of Song of Songs that Solomon had an illicit romance with the girl as the result of an unhealthy passion, and why not say pedophile?

I do not expect any Christian theologian agrees with this article, but it would be appropriate for Christians to reflect on their homophobic words and stop judging homosexuality by having the Bible “as basis and foundation”, which was written by ignorant men – like Moses which proved to be a killer and tyrant leader!

The Israelis now show they inherited the practice taught by Moses to exterminate children [Click here]; There are even those who resent [some Christians] with massacres of children displayed in the media today [Click here]; But they silent completely before deaths and children abuses described in the Bible; the book they proclaim themselves and consider “The Word of God!”

Andrea Foltz

BIBLIOGRAPHY

Catholic Bible of the Monks of Maredsous. São Paulo – SP: Ave Maria, 1958. Fullness Bible Study. Barueri – SP: Bible Society of Brazil, 2002.

Gospel Nostalgia Blog. Song of Songs: A case in question! Available in <http://miquels007.multiply.com/journal/item/23> Accessed  22/12/2010.

Wikipedia. Pedophilia. Available in <http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedofilia>. Accessed   20/12/2010.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 55 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: